sábado, 19 de dezembro de 2009

Sou miúda mas qu'importa?

Para animar o fim-de-semana, deixo mais um testemunho desta voz que considero das mais lindas, versáteis, maviosas, que o fado viu nascer e crescer. Num timbre de eterna miúda, para que disso não haja dúvida, aqui fica mais uma homenagem àquela que foi, é e será sempre a figura central deste blogue, não desfazendo a constante aprendizagem ao conhecer cada vez melhor aqueles que compõem o universo fadista. É um autêntico prazer.


video


Hermínia Silva canta "Sou Miúda" da autoria de Luís Ribeiro e João Fernandes
Gravação de 1958

Nasci nos dias pequenos
E quando alguém me saúda
Ao ver-me assim desta raça
Diz sempre em ar de chalaça:
Lá vai ali a miúda

Sou miúda, mas que importa
Ai, não me rala o ser franzina
Gosto até da sorte minha
Que a mulher mais a sardinha
Só se quer da pequenina

E se Deus me fez assim
Ai, tornou-me mulher benquista
Deu-me esta voz para cantar
Deu-me um coração para amar
E deu-me alma de fadista

Por isso, vivo contente
Ai, sou como os outros mortais
Sou pequena, mas em suma
Não dou a palma a nenhuma
Chego onde chegam as mais

2 comentários:

  1. Nasceu nos dias pequenos mas é uma grande mulher uma grande fadista Hermínia Silva.

    ResponderEliminar
  2. Ora viva o fado... uma vez que não tenho maneira de a contactar, venho aqui partilhar um faducho que compus em vinte minutos de inspiração http://ruinarte.blogspot.com/2009/12/o-fado-do-baptista-russo.html

    Aproveito para vos desejar um natal com muita LUZ e muita fadistagem...

    Gastão

    ResponderEliminar